Início » Ultimas Noticias » Artrite reumatoide: quais os tratamentos e como amenizar os sintomas

Artrite reumatoide: quais os tratamentos e como amenizar os sintomas

Publicado por: DanilQoi 17 de Maio de 2018 Ultimas Noticias Deixe um Comentário

Entenda mais sobre artrite reumatoide, tratamentos e exercícios que ajudam a aliviar os sintomas e melhorar o convívio com a doença no dia a dia.

A artrite reumatoide é uma doença crônica de caráter inflamatório que consiste na fragilização das articulações. As mais frequentemente afetadas são as pequenas articulações das mãos, punhos, joelhos e pés. No Brasil são registrados mais de 150 mil casos novos todos os anos e estima-se que a doença atinja 1% da população mundial. Os episódios ocorrem com pessoas de todas as etnias, porém há mais casos em caucasianos.

O problema é ainda mais sério para as mulheres, as quais são duas vezes mais propensas a desenvolverem a patologia do que homens. Aquelas que estão saindo da menopausa são as que sofrem mais com a doença. A idade média em que a artrite reumatoide é diagnosticada é entre os 40 e 60 anos.

O levantamento da pesquisa O Impacto da Artrite Reumatoide no Brasil mostrou ainda que mais da metade da população brasileira já teve contato com a doença de alguma forma e possui conhecimentos básicos, o que ajuda no diagnóstico precoce e início do tratamento. Porém, apenas três em cinco entrevistados sabem que a patologia afeta outras partes do organismo humano para além das juntas e articulações. Outras partes do corpo também podem ser afetadas, como os nervos, o coração, olhos e pulmões. Além dessas, também e comum ocorrer a artrite reumatoide na coluna em pessoas com mais idade.

Logo, é fundamental compreender como a doença ocorre, seus sinais, o diagnóstico e, principalmente, formas de amenizar os sintomas da artrite reumatoide e conseguir conviver com a patologia. Abaixo explicamos tudo o que é necessário compreender sobre a artrite reumatoide. Boa leitura!

O que é a artrite reumatoide

É uma doença crônica, autoimune e sistêmica que se caracteriza pela inflamação das articulações. Com isto, podem ocorrem deformidades nas juntas, tecidos e até mesmo órgãos.

Isto significa que o próprio sistema imunológico ataca o corpo. Os ataques da artrite reumatoide são na sinóvia ou líquido sinovial, um tecido mole que nutre a cartilagem e também lubrifica as articulações. A cartilagem, por sua vez, tem como objetivo proteger as articulações ao absorver a pressão e o choque provocado pelos movimentos de locomoção.

A artrite reumatoide não tem cura, porém há tratamentos e medicamentos que controlam os sintomas. Normalmente, ocorrem períodos de crise e outros de remissão (diminuição temporária dos sintomas da artrite). Quando está agindo, a doença provoca uma enorme quantidade de inflamações sem motivos aparentes nas articulações e outras áreas como pulmão e coração.

Mas quando os sintomas da artrite reumatoide diminuem, há poucos ou mesmo nenhum caso de inflamação identificados. Este período (também conhecido como recidiva) pode ocorrer espontaneamente ou provocado por meio de tratamento e pode durar de semanas, meses e até anos.

Como identificar a artrite reumatoide

As primeiras manifestações da patologia, normalmente, são sutis. É normal que iniciem com dores nas juntas das mãos e dos pés e dificuldades para realizar tarefas como abrir portas e potes.

Além disto, a artrite reumatoide provoca:

  • dor, inchaço, vermelhidão e sensibilidade nas articulações;
  • cansaço;
  • falta de energia;
  • rigidez muscular nas articulações.

As inflamações agridem os tecidos e geram a perda de cartilagem, erosão, fraqueza em ossos e músculos e deformações. Um dos tipos mais populares de deformação por meio da AR é chamado de “Pescoço de Cisne”, no qual os dedos sofrem alterações e acabam semelhantes ao formato do animal.

Há casos em que ocorre a formação de nódulos subcutâneos ao redor das articulações. Estes nódulos costumam ser duros e não apresentam sintomas, mas, existem registros de ocorrência de infecções e úlceras.

Na maioria dos casos, as manifestações provocadas pela doença ocorrem de forma simétrica. Isto significa que se há um sintoma de inflação em uma mão, a outra também terá.

Tratamentos da artrite reumatoide

Após o diagnóstico deve-se estabelecer um tratamento para artrite à base de remédios, os quais devem ser prescritos pelo médico especialista, preferencialmente um neurologista, conforme a gravidade da AR.

Normalmente, são receitados antiinflamatórios e também corticoides para as crises. Estes medicamentos devem ser tomados frente a sinais de inflamação ou dores.

Dependendo do estágio e da realidade do paciente há casos em que a cirurgia é o tratamento indicado. A possibilidade de cirurgia é considerada quando tratamentos conservadores não forem  efetivos para controle dos sintomas da artrite reumatoide a ponto de não permitir níveis mínimos aceitáveis de atividades de vida diária, como trabalho e afazeres domésticos.

Os tipos mais comuns de cirurgia da artrite rematoide são:

  • A sinovectomia, através da remoção da sinovite que causa dano na articulação, ajuda a reduzir a dor e o inchaço significativamente causados por sintomas da artrite reumatoide, contribuindo para prolongar a vida útil da cartilagem e prevenir ou retardar o dano e a destruição das articulações mais afetadas como mão, cotovelo, joelho, tornozelo e pé.
  • A artrodese pode ser realizada em quase toda articulação, mas é mais comumente realizada em articulações da coluna vertebral, mãos, tornozelos e pés Realizada em casos de artrites severas, o procedimento alivia a dor, proporciona estabilidade, corrige deformidades e detém o avanço da doença.
  • A artroplastia é uma importante opção cirúrgica para manter a amplitude de movimento da articulação funcional sem dor.

Em todos os casos, a fisioterapia e a terapia ocupacional, são medidas que ajudam o paciente a manter uma rotina normal dentro do que seu corpo permite. Atividade aeróbica, alongamentos e relaxamentos são exemplos de exercícios que contribuem para uma melhor qualidade de vida.

Outras atitudes ajudam a melhorar o cotidiano de quem convive com a artrite reumatoide:

  • Ao dormir posicionar um travesseiro debaixo da cabeça, outro entre as pernas, o que evita contato direto entre os joelhos, e um terceiro para abraçar. Isto ajuda a manter, mesmo durante o sono, uma postura adequada e que causa menos prejuízo.
  • Priorizar uma boa noite de sono, pois isso ajuda a relaxar os músculos. O ideal é evitar bebidas alcóolicas, com cafeína ou outros tipos de estimulantes antes de dormir.
  • Facilite o seu dia a dia: retire tapetes, mesas de centro e mantenha as peças sempre iluminadas para tornar mais fácil o trânsito dentro da casa e evitar quedas.
  • Qual é a altura da sua cama? O ideal é que ela esteja na altura dos joelhos, pois permite mais facilidade para sentar e também levantar.
  • O mercado oferece uma série de produtos para quem convive com a AR, como talheres, escovas e etc. Procure utensílios que ajudem o dia a dia e contribuam para que nenhuma atividade básica seja deixada de lado.

Como vimos, a artrite reumatoide é uma doença bastante comum e que provoca uma série de desafios na vida de quem é acometido por ela. É de extrema importância que o indivíduo com artrite procure um médico especializado para o tratamento do problema. Mas é importante que fique claro que a doença é incurável e que os procedimentos médicos usados funcionam apenas para tratar e aliviar os sintomas da artrite, bem como suas deformidades ao longo do tempo.

 

Comentários e Respostas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *